Atenção! O Portal dos Bancários RS utiliza cookies neste site, eles são utilizados para melhorar a sua experiência de uso e estatísticos.

Saúde | 06/08/2021
Bancário: ajude a categoria a enfrentar os efeitos da pandemia

Um estudo do Departamento de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas (UNICAMP) vai apontar as sequelas neurológicas da COVID-19 nos bancários que foram infectados. A Fetrafi-RS, dentro da campanha “Covid Mata, Proteção Salva. Não Duvide.”  convoca todos os bancários que passaram pela doença a responder a pesquisa para que os dados possam ser usados nas negociações com a Fenaban.

“O estudo vai permitir uma análise específica da categoria para podermos registrar a situação, negociarmos medidas que garantam aos bancários seus direitos trabalhistas e previdenciários, controle médico e tratamento adequado quando necessário”, explica o secretário de Saúde da Contraf-CUT, Mauro Salles.

A categoria bancária foi uma das mais atingidas pelo novo coronavírus, pois presta um serviço essencial à população. Prova disso que, recentemente, o Ministério da Saúde atendeu à reivindicação do Comando Nacional dos Bancários e incluiu a categoria no Plano Nacional de Imunização como prioritária para a vacina contra a COVID-19.

Caso você tenha contraído COVID-19 em algum momento durante a pandemia, responda o questionário e repasse para seus colegas.

Acesse o link para validação do termo de autorização (imprescindível):
https://adobe.ly/3yg2oYj

Responda ao questionário da Pesquisa:
https://forms.gle/UyQQpFHsd9tDbr7M9

OUTRAS MATÉRIAS
Caixa Econômica Federal | 22/02/2024
SindBancários e Contraf-CUT apoiam Fabiana Uehara para o CA da Caixa
Eleição ocorre na próxima semana, de 26 a 29/2, pela intranet do banco
Bradesco | 22/02/2024
COE Bradesco debate reestruturação no banco
Movimento sindical está preocupado com os rumos da instituição financeira
Banco do Brasil | 22/02/2024
Antiga reivindicação de sindicatos, BB prioriza diversidade na expansão das Gepes
Trabalhadores são atendidos na reivindicação para que banco priorize vagas para mulheres, negros, indígenas e PcDs no programa que irá dobrar a rede de Gestão de Pessoas para atingir todas as regiões do país